Estou de volta. Depois de um susto que a vida nos dá de vez em quando, acho que posso sentar e escrever algo. Dizem que é terapêutico e ajuda a sarar feridas quando transferimos idéias e sentimentos ao papel. Talvez por isso, o hábito de ter um diário seja tão popular e incentivado por [email protected] Confesso nunca ter tido um ou a paciência necessária mas com o passo do tempo e dos acontecimentos acho que pouco a pouco estou mudando de opinião. Não entrarei em detalhes mas posso afirmar que tive muito medo e que vejo agora as coisas em geral, um pouquinho diferentes. Às vezes precisamos de uma sacudida da realidade para poder entender a vida de uma maneira mais clara, ou seja, com menos stress. Continuo amando minha cozinha e meus doces e continuo fazendo, testando, provando, lendo, aprimorando o que considero um presente: amor para dar e vender em forma de doces e sobremesas. Semana passada, com a Páscoa, não tinha nenhuma idéia do que iria preparar aqui em casa. Temos uma divisão de tarefas, meu marido e eu,em datas comemorativas. Ele, prepara o prato principal (carne, salada ou o que estiver dentro da tradição – polonesa, claro) e eu me encarrego da sobremesa. Se pudesse, faria uma festa cada dia aqui só para ter a desculpa de poder cozinhar. Tivemos o prazer de receber um casal de amigos para a celebração da Páscoa. Ela, adora chocolate mas não pode comer farinha e depois de dar voltas e voltas em livros, anotações, cadernos, etc. encontrei a receita que vou compartilhar com vocês. Muito simples mas com um resultado incrível, é só por a imaginação para funcionar. Como tinha mencionado, meu marido é polonês e existe uma torta servida nessa época chamada Mazurek. A massa é como a de um biscoito e coberta com chocolate, geralmente, e frutos secos: amêndoas, tâmaras, cerejas, etc. A minha versão é diferente mas deliciosa. Esse doce é presenteado aos que vêm à sua casa e considerado um prêmio depois do jejum e rigores da Pàscoa. Os desenhos típicos da torta, feitos com os frutos secos representam variedades de coisas e o seu nome veio da tribo Mazur, habitantes da Polônia Central.

Mazurek à brasileira

Ingredientes: 6 ovos – 80 gr de açúcar – 200gr de chocolate em barra – 50 gr de manteiga.

Preparo: Bata os 6 ovos, inteiros com o açúcar até que dobrem de volume e adquiram uma cor esbranquiçada. Enquanto os ovos batem, derreta o chocolate picado previamente numa panelinha com a manteiga. Uma vez derretido, espere esfriar. Com a batedeira em volume baixo, acrescente o chocolate derretido aos ovos lentamente. Transfira a massa para uma assadeira. Optei por uma de rocambole, a de 40X25 cm.

Levar ao forno pré-aquecido 180°C por mais ou menos 15 minutos (depende do seu forno). Vai ficar um bolo baixinho e fino, como as camadas de um rocambole. Cortei em 4 e pus o recheio de geléia de ameixas que combina muito bem com chocolate.

Cubra o bolo com uma ganache de chocolate (que já ensinei em outros posts) e decore com os frutos secos. Fica supimpa! Me conta como ficou!

Beijos

bolo